sábado, 16 de dezembro de 2017

JOÃO BATISTA, VEM ENSINAR

Voltemos o nosso olhar para esse grande homem de Deus, São João Batista, veio para dar testemunho da Luz. E quando interrogado, fez questão de dizer que ele não era a LUZ, mas a sua missão era preparar o caminho daquele que é a luz dos homens.

Fico pensando que benção seria se um dia nós também nos aproximássemos tanto de Jesus que fossemos confundidos com ele.

Como cristãos deveríamos ser capazes de refletir a Luz Divina, em nossas ações, a ponto de sermos confundidos com Jesus, infelizmente, nossas vaidades, egoísmos, ranços, magoas, fraquezas e pecados, são como manchas que nos impedem de refletir essa luz. Devemos nos esforçar para ser como um espelho, limpo e sem mancha para refletir a luz de Deus em nossas palavras e ações.

João Batista disse: Eu sou a voz que clama no deserto. Não fiquemos desanimados se às vezes parecer que estamos clamando no deserto. Falamos e parecer que não tem ninguém nos escutando. 

João Batista anunciava e denunciava. Ele anunciava a vinda do Filho de Deus. Ao mesmo tempo em que denunciava o abuso, a arrogância e o egoísmo.

O cristão que denuncia as coisas erradas, logo ira sofrer a oposições, rejeição, será rotulado de atrasados, e outras coisas piores, simplesmente por que vive a sua fé e segue o Evangelho.

Aquele que diz a verdade não é bem aceito por uma sociedade que vive de aparências. Na própria família, quem defende o certo, pode ser chamado de "chato".

Queremos a união dentro de casa, mas não podemos abrir mão do testemunho, mesmo que cause divisão. 

Porque na realidade, todas as vezes que pregamos ou testemunhamos a Palavra de Deus, ela sempre cumpre a sua missão.

Como nos ensina o profeta Isaias, a Palavra de Deus é eficaz como a chuva depois que ela cai do céu não volta para as lá sem antes irrigar a terra e produzir seus frutos. 

Cada vez que falamos em Deus para alguém, falamos de quanto ele nos amam e do que ele já realizou em nossa vida, sempre chega ao coração de quem ouve, sempre que fazemos um carinho para alguém, enxugamos uma lagrima, estendemos a mão para alguém que precisa deixamos uma marca, mesmo nos corações mais duros, que nem mesmo o tempo poderá apagar, e um dia, pela graça de Deus vai dar frutos. 

Os pais que falam de Deus em casa, e praticam a fé diante dos filhos, mesmo que pareça que não estão prestando atenção, não estão perdendo o seu tempo. Pois um dia aqueles filhos irão se lembrar do testemunho e dos ensinamentos do seu pai, e voltarão para Deus, pois o esforço do seu pai não foi em vão. Embora não pareçam, aquelas palavras ficaram gravados no coração daqueles filhos, esperando o momento oportuno para brotar.

Por isso, não desanimemos! Vamos Continuar semeando a palavra de Deus, testemunhando a fé, confiando que o Bom Deus fará a sua parte, cuidando dos detalhes que conduzem a conversão.

João Batista era mansidão, porém firmeza, humildade, mas cheio de DEUS. Que saibamos preparar o Natal com mansidão e firmeza, humildade é fé, na certeza que tudo pode ser melhor, se testemunharmos Cristo ao mundo com nossas boas ações, levando alegria aos nossos irmãos.

Posso contar com vocês?

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

CRISTO REI

Vimemos num mundo paganizado, num mundo que virou as costas para Deus, num mundo que ridiculariza a Igreja por pregar as exigências do Evangelho. 

INFELIZMENTE Jesus não reina mais nas famílias, Jesus não reina mais em nossas escolas, Jesus não reina mais em nossos ambientes de trabalho, não reina mais nas nossas leis nem dos nossos legisladores e governantes... 

Hoje reina o paganismo, o relativismo, reina a banalização do sagrado. 

Mas nós homens e mulheres de fé, diferente do que faz o mundo, o proclamamos Rei: Rei de nossas vidas, Rei da história, Rei do universo. 

O mundo não entende o reinado de Jesus, porque Ele não é um Rei prepotente ao estilo dos que governam o mundo, mas é um rei que nos ama, Rei porque se fez um de nós, Rei que por nós sofreu, morreu e ressuscitou. Rei porque nos dá a vida. O reinado de Cristo é muito diferente dos reinados do mundo. 

(1) Ele é um Rei solidário conosco em tudo menos no pecado. Ele experimentou nossas pobrezas e limitações; ele caminhou pelas nossas estradas, derramou o nosso suor, chorou conosco. Ele morreu como nós, de morte humana, igual à nossa. Ele reina pela solidariedade. 

(2) Ele é Rei porque nos serviu: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate por muitos” (Mc. 10,45). Serviu com toda a sua existência, serviu dando sempre e em tudo a vida por amor de nós. Ele reina pelo amor. 

(3) Ele é Rei porque tudo aparecerá na sua verdade: “Quem é da verdade, ouve a minha voz”. É nele que o mundo será julgado. A televisão, os modismos, os sabidos do mundo podem dizer o que quiserem, ensinarem a verdade que lhes forem conveniente... mas, ao final, somente o que passar pelo teste de cruz do Senhor resistirá. O resto, é resto: não passa de palha. Ele reina pela verdade. 

(4) Ele é Rei porque é o único que pode garantir nossa vida; pode fazer-nos felizes agora e pode nos dar a vitória sobre a morte por toda a eternidade: “Jesus Cristo é o primeiro a ressuscitar dentre os mortos, o soberano dos reis da terra”. Ele reina pela vida. 

Sim, Jesus é Rei, ele nos diz: “Eu sou Rei! Para isto nasci, para isto vim ao mundo!” Mas seu Reino nada tem a ver com os reinos humanos. Nunca nos esqueçamos que aquele que entrou em Jerusalém como Rei, veio num burrinho, símbolo de mansidão e serviço. Como coroa teve os espinhos; como cetro, uma cana; como manto, um farrapo escarlate; como trono, a cruz. 

Hoje, vemos a paganização do mundo, e perguntamos: onde está a realeza do Cristo? – Onde sempre esteve: na cruz. 

O Reino que Jesus onde ele está? Poderão nos perguntar: Onde estiverem o amor, a verdade, a piedade, a justiça, a solidariedade, a paz. 

Celebrar Jesus Cristo Rei do Universo é proclamar diante do mundo que somente Cristo é o sentido último de tudo e de todos, que somente Cristo é definitivo e absoluto. 


O seu Reino já está presente no mundo. Ali, onde o amor de Cristo é acolhido com doçura e bondade; ali, onde reina o amor e a caridade; ali onde o serviço e o perdão estão presentes; ali, onde se reza e se busca realmente levar a própria cruz com Cristo. 

A ele a glória pelos séculos dos séculos. Amém.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

MARIA – MULHER EUCARÍSTICA

Ao falar da Eucaristia, “não podemos esquecer Maria porque ela tem uma relação profunda com o santíssimo sacramento. “Maria está presente, com a Igreja e como Mãe da Igreja, em cada uma das celebrações eucarísticas”. Se Igreja e Eucaristia são indivisível, o mesmo é preciso afirmar de Maria e Eucaristia. Por isso mesmo, desde a antiguidade é unânime na Igreja a recordação de Maria na celebração eucarística”.

Seguindo os passos de Maria, vamos percebendo como de fato, ela é a Mulher Eucarística. Já na anunciação se encontra uma analogia profunda entre o “sim” pronunciado por Maria e o “amém” que o fiel diz ao receber o Corpo de Senhor, na sagrada comunhão.

A visita de Maria a Isabel nos permite vislumbrar seu sentido “eucarístico”. No paralelismo com o transporte da arca da aliança, o evangelista Lucas quer transmitir a convicção que Maria é a arca da nova aliança, o lugar incorruptível da presença do Senhor.

“Na visitação, quando Maria leva em seu ventre o Verbo encarnado, de certo modo Ela serve de « sacrário » – o primeiro « sacrário » da história –, para o Filho de Deus, que, ainda invisível aos olhos dos homens, se presta à adoração de Isabel, como que « irradiando » a sua luz através dos olhos e da voz de Maria”.

Relendo, em perspectiva eucarística, o Magnificat cantado por Maria em sua visita a Isabel nos permite descobrir que na Eucaristia, a Igreja une-se a Cristo, com o mesmo espírito de Maria.

De fato, como o cântico de Maria, a Eucaristia é primeiramente louvor e ação de graças. Quando exclama: « A minha alma glorifica ao Senhor e o meu espírito exulta de alegria em Deus meu Salvador », Maria traz no seu ventre Jesus. Louva o Pai « por » Jesus, mas louva-o também « em » Jesus e « com » Jesus. É nisto precisamente que consiste a verdadeira « atitude eucarística ».

“As convergências espirituais entre a celebração da Eucaristia e o cântico de Maria são várias: O louvor e a ação de graças que em ambos se louva e agradece ao Pai ‘por Cristo, com Cristo e em Cristo’. Em ambos se faz memória das maravilhas operadas por Deus na história da salvação: no Magnificat se celebra a encarnação redentora, indicada na expressão das ‘grandes coisas’ realizadas por Deus em Maria. Na Eucaristia se atualiza o mistério pascal do Senhor.

Cada vez que o Filho de Deus se torna presente entre nós nos sinais sacramentais, do pão e do vinho são lançados no mundo a semente do Reino que verá os poderosos « derrubados dos seus tronos » e « exaltados os humildes » (cf. Lc 1, 52).

Maria canta aquele « novo céu » e aquela « nova terra », cuja antecipação se encontram na Eucaristia. Se o Magnificat exprime a espiritualidade de Maria, nada melhor do que esta espiritualidade nos pode ajudar a viver o mistério eucarístico. Recebemos o dom da Eucaristia, para que a nossa vida, à semelhança da vida de Maria, seja toda ela um verdadeiro magnificat” (EE 58) .

Na infância de Jesus, Maria oferece duas atitudes indispensáveis a uma participação na Eucaristia: o amor e a oferta do sacrifício. Em Belém, a Mãe se revela incomparável modelo de amor quando contempla a face de Cristo apenas nascido e o envolve com seus braços. “Ao longo de toda a sua existência ao lado de Cristo, e não apenas no Calvário, Maria viveu a dimensão sacrifical da Eucaristia. Quando levou o menino Jesus ao templo de Jerusalém, « para apresentá-lo ao Senhor » (Lc 2, 22), ouviu o velho Simeão anunciar que aquele Menino seria « sinal de contradição » e que uma « espada » haveria de traspassar também a sua alma (cf. Lc 2, 34-35). ]

Assim foi vaticinado o drama do Filho crucificado e de algum modo prefigurado o « stabat Mater » aos pés da Cruz. Preparando-se dia a dia para o Calvário, Maria vive uma espécie de « Eucaristia antecipada.

Para nós cristãos, viver o memorial da morte de Cristo na Eucaristia implica também levar conosco – a exemplo de João – Aquela que sempre de novo nos é dada como Mãe. Significa ao mesmo tempo assumir o compromisso de nos conformarmos com Cristo, entrando na escola da Mãe e aceitando a sua companhia.

“Se a Eucaristia é um mistério de fé que excede tanto a nossa inteligência que nos obriga ao mais puro abandono à palavra de Deus, ninguém melhor do que Maria pode servir-nos de apoio e guia nesta atitude de entrega. Todas as vezes que repetimos o gesto de Cristo na Última Ceia, dando cumprimento ao seu mandato, (Fazei isto em memória de Mim), ao mesmo tempo acolhemos o convite que Maria nos faz para obedecermos a seu Filho sem hesitação: « Fazei o que Ele vos disser » (Jo 2, 5). Ela parece dizer-nos: « Não hesiteis, confiai na palavra do meu Filho. Se Ele pôde mudar a água em vinho, também Ele é capaz de fazer do pão e do vinho o seu corpo e sangue, tornando-se assim o “pão de vida”. Amém!

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

DESAPEGO

Quem tem fé, bendiz ao Senhor, mesmo entre dificuldades e incertezas, pois sabe que a sua vida esta nas mãos de um Deus forte, de um Deus poderoso, de um Deus especialista no impossível. Quem não tem fé, resmunga e múrmura, lastima se desespera Quem tem fé vê além e confia., pois não enxerga um o caminho. 

A santidade é uma longa estrada a ser percorrida e nem sempre é fácil.

Seja, pelas dificuldades naturais da vida, como problemas de saúde, o peso da idade que vem chegando, seja pelo peso desnecessário que acabamos carregando pelo caminho, magoas, rancores e desilusões. 

Jesus nos fala sobre o desapego, pois quanto mais peso levamos mais difícil será o caminho rumo a santidade. 

Imagino que seja como quando andamos por terreno baldio e ficamos cheios de carrapichos. Se não cuidarmos na vida vamos ficando cheios com os carrapichos da vaidade, do medo, da soberba, do orgulho, da arrogância, da prepotência, da indiferença, do ciúme, da inveja... Todas essas coisas podem acabar depositando suas sementes em nosso coração.

O mal vai se agarrando em nós como carrapichos que vamos adquirindo, vícios e até manias. Ai chega alguém e diz que você esta cheio de manias, e vocês responde, não mesmo, não são manias são direitos adquiridos. Da onde?

É comum vermos capim nascendo em meio a fendas no concreto. Não precisam de muita coisa; precisam apenas de uma fresta. 

Jesus quer nos alertar sobre esses apegos indesejáveis. Quando nos diz que todo o apago exagerado pode nos afastar de Deus. Deus deve estar em primeiro lugar em nossa vida, mesmo antes que as coisas mais puras e santas, como a nossa família. 

Jesus quer que famílias se desfaçam, pelo contrario, pois as pessoas que não vive em Deus não tem chance de ser uma família de verdade, pois os apegos geram distanciamento e rivalidades que destroem as relações.

Irmãos a caminhada, para o céu é longa, quanto mais peso levo mais complicada será para me manter nela. O peso das coisas que carrego fatalmente ou me farão parar mais vezes ou nos motivará a desistir. 

A pessoa apegada pensa no que tem a perder quando aceita Deus, porque não é capaz de ver o que tem a ganhar. 

Quando éramos jovens nossos pais sabiam por onde andávamos pela cor da roupa que chegávamos em casa, inclusive os carrapichos. Mais que nossos pais, Deus sabe por onde andamos e conhece cada um dos carrapichos que tememos retirar. O desapego não é fácil, exige esforço e humidade. 

Rogamos humildemente que o Bom Deus tire as nossas imperfeições para sermos dignos do Reino dos Céus.

sábado, 4 de novembro de 2017

SANTOS

Vivemos num mundo estressado, as pessoas correm, e correm sem saber para onde, porque esqueceram que são de onde vieram e qual é o nosso destino. Celebrar todos os santos é recordar: 


Quem somos - SOMOS FILHOS DE DEUS;
De onde viemos - VIEMOS DE DEUS;
Qual a direção a seguir - O SENTIDO DA VIDA É O CÉU.

Podemos dizer que a celebração de todos os santos, é um convite a olharmos para o céu, pois lá é o nosso lugar, o céu é a nossa meta, e a multidão de santos e de santas, são aqueles que trilharam o caminho à nossa frente e alcançaram e o objetivo, a nós cabe seguir os seus passos.

Como história do pai que ao passar por uma encosta disse ao filho cuidado onde pisa para não escorregar. E o filho responde cuidado você onde pisa, pois eu vou atrás pisando nos seus rastros. 

Os santos passaram por esse mundo e deixaram os seus rastros, as marcas de seu amor a Deus, a igreja reconhecendo a sua santidade, nos diz que podemos seguir os seus rastros, pisar onde eles pisaram, pois ai tem um caminho seguro, que nos levará à glória do céu.

Infelizmente, muitos têm como heróis os atores, os cantores, jogadores de futebol e outros que não são bons exemplos. Quanto a nós, que nossos modelos sejam os santos, verdadeiros heróis. Pois com Cristo venceram as tribulações da vida! Hoje eles intercedem por nós junto de Deus, pois o que eles foram, nós somos e o que eles são, todos nós somos chamados a ser. 

Eles fizerem o que deviam fazer cada um do seu jeito, respondendo aos desafios da sua época, procurando serem fiéis a Deus. Pessoas como nós, frágeis como nós, sofreram as tentações que nós sofremos, contaram com a mesmo graça de Deus que nós contamos, se eles conseguiram a santidade vivendo nesse mundo, também podemos!

Nem todo mundo pode ser astronauta, presidente da republica ou ganhar na sena, mas exista algo muito melhor que tudo isso que todos nós podemos ser: todos podem ser santos. 

Optamos pelo o caminho da santidade, quando deixamos de projetar a nossa vida em nós mesmos, para projeta-la de Deus. 

Infeliz daquele que tem a si mesmo com centro da sua vida. Quem vive somente para si tem muito pouco motivo para viver, viverá insatisfeito, angustiado, deprimido. Feliz daquele que vive para Deus e para os irmãos. Nunca lhe faltaram amigos ao seu lado, contará com uma família e uma comunidade. Viver para Deus e para os irmãos não é um caminho fácil, mas sem dúvida é o caminho da felicidade. 

O desejo de Deus é a nossa felicidade. Ser bem Aventurados, ser feliz, é tudo o que mais desejamos, pena, que muitos buscamos a felicidade fora dos planos de Deus onde nunca vamos encontrá-la. 

Para o mundo, felicidade, é ter isso ou aquilo, é poder fazer o que se quer, pura mentira, felicidade não é ter ou poder, felicidade é ser. Ser pai, ser mãe, ser amigo, ser irmão, não existe felicidade fora do calor das relações humanas. 

Perguntem a uma mulher que tenha sido muito bem sucedida na sua carreira, reconhecida por suas habilidade, e até mesmo ganhado muito dinheiro; e ela lhe dirá que a sua maior felicidade terá sido ser mãe.

Precisamos nos conscientizar, de que a felicidade, não é algo que podemos comprar, nem significa ausência de problemas. Pois mesmo em meio a dores e sofrimentos podemos amar, ser amador, e ser feliz.

Ninguém busca o sofrimento, mas é inevitável. Faz parte da vida humana, assim como nascemos, e um dia morreremos, assim temos dias maravilhosos e dias difíceis. É preciso saber aproveitar as dificuldades da vida como lições que nos ensinam trilhar os passos de Jesus, e estar no caminho da Santidade.

É impossível evitar que o sofrimento bata a sua porta, mas não precisa oferecer uma cadeira e um cafezinho para ele. Não fique mimando a tua dor, quanto mais lambemos as feridas mais elas ardem. Para de lamber as feridas e olhe ao seu redor quem esta precisando de você, do seu sorriso do seu carinho da sua mão amiga. 

Assim são os Santos, aqueles que mesmo em meio das provações souberam amar. Eles nos fazem ver onde está a verdadeira felicidade.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

TODOS OS SANTOS

Alguém perguntou a Jesus “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?”. Jesus respondeu dizendo: “Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita para entrar pela porta estreita”. 

A porta estreita representa todas às renuncias que devemos fazer. Existem muitas coisas que nos são prazerosas, nos fazem mal.

Notem, existe uma grande diferença entre o gostoso e o bom. 

Chocolate é bom? Carne gorda é bom? NÃO é apenas gostoso. 

Mas não temos que nos preocupar apenas com o que faz mal a saúde, precisamos estar atento ao que nos afasta de Deus e dos irmãos. 

Para mim a porta estreita não é apenas: - beber menos, mas é não beber nada de álcool; - rezar mais é garantir ao menos o terço e a liturgia diária.

- Ir à igreja, mas também ser dizimista. - Fazer uma doação no natal, mas fazer caridade todos os dias.

A porta estreita, é a renuncia de toda a acomodação, pecado, orgulho ou vaidade para ganhar o Reino de Deus.

São muitas as portas estreitas a que deveremos passar, para alcançar um objetivo nesta vida, como, por exemplo, o esforço do jovem nos estudos, para que um dia consigam o diploma tão desejado.

Porém, as portas que mais valem a pena serem passadas, são aquelas que nos faz merecedores da glória eterna.

Jesus nos informa que a JUSTIÇA é a porta mais importante a que devemos procurar passar. Pois a justiça é condição para a CARIDADE.

Que adianta eu fazer caridade se sou mentiroso, falso, corrupto e ladrão. De nada adianta ser sorridentes, fazer doações se não formos JUSTOS. Pois no dia do Juízo final, poderemos ouvir de Jesus essas palavras muito duras, quando pedirmos ao Senhor que nos abra a porta: “Não sei de onde sois.' Então começareis a dizer: `Nós comemos e bebemos diante de ti, e tu ensinaste em nossas praças!' Ele, porém, responderá: `Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!'

Queridas irmãs, e irmãos. Vamos nos esforçar, vamos passar pelas portas estreitas desta vida. Cada um pergunte a si mesmo: Eu já estou fazendo todo o esforço ou posso fazer algo mais?

Peçamos a intercessão de Maria para fazermos o nosso algo a mais, ao menos um ato heroico todos os dias. Como nos Ensina São José Maria Escrivá, cada dia façamos algo que não é nossa obrigação, algo que ninguém espera de nós, algo bom para alguém um gesto de generosidade gratuito, um gesto altruísta, assim confirmamos, para nós mesmo, que estamos na direção certa e conformarmos nosso coração ao doce coração de nosso Bom Jesus. 

Assim como um atleta que todos os dias correr para superar a si mesmo, para ganhar uma medalha, que a ferrugem vai corroer muito mais devemos nos esforçar para ganhar a coroa da glória junto de Deus.

sábado, 14 de outubro de 2017

PRIMEIRA COMUNHÃO

Queridos papais, mamães e familiares, queridas catequistas de modo particular a Carla e a Silvia que acompanharam essa turma, amadas crianças.

Ao chamado de Jesus – “Vem e segue-me”, vocês têm respondido “Eis-me aqui“, desde o dia em que seus Pais os levaram à Igreja para receber o Batismo. Pelo Batismo nos tornamos Filhos de Deus.

Por isso, vocês rezam o Pai Nosso…

Durante estes 2 anos de Catequese, vocês foram acompanhados por suas famílias e pelas Catequistas, neste caminho de seguimento de Jesus, nosso Salvador.

Hoje vocês dão um passo importante na vida Cristã, participando de agora em diante da mesa da Eucaristia.

Vocês vão participar da comunhão do Pão e Vinho, Corpo e Sangue do Senhor, dados para nós como alimento espiritual. “Quem come deste Pão tem a vida eterna”. 

Mas já agora desfrutamos desse pão sagrado, pois, Quando comungamos Jesus caminha conosco, nos ajuda, nos guia. E também nos dá a força para caminhar. Sustenta-nos nas dificuldades e também nas tarefas da escola. 

Jesus nos salva, mas também caminha conosco na vida.

Na comunhão recebemos a força do alto. Não se deixem enganar pela aparência de pão. Na aparência de um simples pedaço de pão recebemos o Corpo de Cristo.

Jesus vem ao nosso coração. Pensemos nisso, o Pai nos deu a vida, Jesus nos deu a salvação, nos acompanha nos guia, nos sustenta, nos ensina. O Espírito Santo, nos ama, nos dá o amor. 

Queridos jovens, lembremos que a Virgem Santíssima ao receber o anúncio que seria a mãe do salvador saiu depressa para ajudar a sua prima Isabel.

Ir com pressa socorrer aos irmãos deveria ser característica dos Cristãos, a característica dos que participam da mesa da Eucaristia. 

Nossa Senhora é sempre assim. É nossa Mãe, e sempre vem imediatamente quando precisamos. 

Quando seus filhos estão com problemas, têm alguma necessidade e a invocam, ela vai imediatamente. E isso nos dá a segurança, temos a Mãe sempre ao nosso lado.

Que lindo se em cada Santa Missa, recebêssemos Jesus como Maria o Recebeu.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

ANO MARIANO

O povo brasileiro tem uma bela relação com Maria, a mãe de Jesus, seja como pelo titulo de Aparecida, nossa padroeira que há 300 anos veio morar conosco, seja pelo titulo de Fátima que há 100 anos nos veio visitar, falando a nossa língua. Essa relação de amor e devoção tem uma raiz bíblica, que procuramos tornar bem mais profunda neste ano Mariano, pois todo os discípulos de Jesus somos chamados a fazer sua vontade, mantendo viva a nossa esperança, transformando, por nossas ações, as realidades de morte em vida, de trevas em luz, de miséria em abundância e violência em PAZ.

Aparecida e Fátima remetem à figura de Maria como imagem da igreja triunfante, tornado visível para nós o nosso destino, o céu e o nosso caminho de uma igreja peregrina, chamada a fazer a vontade de Deus. Dando-nos a certeza que a melhor coisa que pode nos acontecer é a vontade de Deus.

A presença de Nossa Senhora em Fátima e o aparecimento da pequena imagem foram grandes sinais do alto, sinal de que Deus ouve as preces dos simples e pequeninos. A partir desse sinal, pesca foi abundante, o muro caiu, a paz retornou, milagres incontáveis acontecem até nossos dias. 

Neste dia, no Brasil, também comemoramos o dia das crianças. Elas aguardam de todos nós um sinal de um país mais justo, humano, solidário e que saiba cuidar do seu povo com carinho e proteção. Aguardam sinais de vida, que devem ser cultivados e promovidos já agora, para que o seu futuro seja de abundância e paz. Que a honestidade expulse a corrupção de nossa amada nação.

Gosto sempre de imaginar a cena daquele casamento em Caná da Galileia. Deve ter sido um casamento de pessoas simples, pobres, como humilde e pobre era Maria. Porque para que Maria e Jesus fossem convidados, o casal nubente só poderia ser pobre, já que a disparidade entre as pessoas era tamanha, que ricos e pobres jamais se misturavam, especialmente em festas. Hoje, na verdade não é muito diferente!

Maria, que é mãe, e mãe sempre esta atenta, percebe que os noivos pobres poderiam passar vergonha, já que o vinho começava a faltar. A mãe chama o filho e intercede. Jesus não parecer dar uma resposta muito amigável. Mas a mãe conhece o filho que tem. Maria vai aos serventes e lhes diz: “fazei o que ele vos disser!” 

A confiança no filho é maior que sua preocupação. O milagre acontece justamente pela fé de Maria em Jesus. Desse ano Mariano também nós, todos nós, podemos testemunhar de norte a sul do Brasil, nossa confiança na intercessão de Maria. Pois ela é mãe e mãe não nos deixa os filhos esperando, não nos faz passar vergonha, mas intercede por nós. 

Porém é preciso atender a sua ordem dada aos serventes e também a nós hoje: fazer o que Jesus nos pede! E o que Jesus nos pede? Que nos amemos uns aos outros! 

Se nos amarmos, o mundo terá mais paz, Cachoeirinha terá mais paz, o mundo será muito mais bonito, do jeito como Deus o criou e desejou para nós!

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

A VINHA DO SENHOR

A vinha é a nossa vida, nossa família, nossos filhos. Deus nos presenteou com a vida, com a família, nos ofereceu o batismo, nos ofereceu a Sua Igreja, nela tivemos conhecimento da sua Palavra e do seu amor, nos oferece o pão da vida a Eucaristia. Oferece-nos tantos retiros, grupos de oração, pastorais, nos cerca de cuidados e carinho.

Infelizmente vamos tantos irmãos que se desviaram de tudo aquilo que aprenderam de Deus e de seus pais. Se julgam espertos, atualizados, e vivem como bem entendem pensando poder fazer a seu modo a própria felicidade. 

Ai surge a violência, as drogas, a insegurança, depressão, ruina da família a solidão e tantos outros males. 

Por que coisas tão tristes essas acontecem? 

Deus oferece uma vida sob a sua proteção. Mas preferem viver num mundo de vaidade e egoísmos, ciúmes e invejas, revalidas e vinganças.

Estes são os maus administradores da vinha do Senhor, que sofrem e fazem outros sofrerem sem culpa, por falta de cuidado com a vinha não produz frutos doces, mas abrolhos e espinhos. 

O senhor alerta aos maus administradores, a vinha lhe será tirada. Cuida bem da tua família ou ela lhe será tirada, cuida bem dos teus filhos, cuidam bem do teu trabalho, cuida bem da tua vida, segundo a lei do senhor, senão ela lhe será tirada. 

A vinha também é a Igreja, que foi entregue nas mãos dos escolhidos de Deus, pessoas de sua confiança, a vinha mais importante da Terra, para ser cultivada com muita dedicação, irrigada com a palavra, adubada com a oração e fortalecida com a Eucaristia.

Deu-nos o Santo Padre o papa, como guia e pastor para nos defender das eravas daninhas, as falsas doutrinas, e os são os falsos cristãos que só querem se promover, e enriquecer, distorcendo a palavra de Deus, pregando mentiras atacando a família a vida e tudo que há de mais sagrado. 

O texto do Evangelho nos relata que quando o proprietário da vinha mandou seu próprio filho, os maus vinhateiros o mataram. 

Caríssimos, Jesus foi enviado ao povo de Israel para reclamar frutos de justiça, mas foi jogado fora da vinha, foi jogado no calvário, o qual ficava fora de Jerusalém a cidade santa do Senhor.

Infelizmente é o que ainda vemos, tiram Jesus para fora das escolhas, dos espaços públicos, da família, difamam seu sacerdotes, atacam a sua igreja, nos caluniam e querendo desmoralizar a nossa doutrina sobre a o valor família, e da vida. 

Porém não desanimemos, não percamos a nossa fé, tenhamos coragem, e confiança em Deus. Ele nunca vai tirar a sua mão protetora de cima da Igreja. Ele não vai abandonar a sua vinha criada com tanto amor, com a entrega do seu Filho na Cruz. Deus prometeu, Ele cumpre. "Eis que estarei com vocês até o fim dos tempos... ... e as portas dos infernos não se prevalecerão contra ela..."

sábado, 30 de setembro de 2017

SIM COMO O SIM DE MARIA

Deus não desiste do ser humano, Ele nos chama à conversão. Deus passa pela nossa vida em várias etapas dela, convidando a rever a nossa vida e voltarmos para Ele, que é o Caminho, a Verdade e a Vida!

Nessa parábola dos dois irmãos mostra um dos motivos porque muitos não O aceitaram – a falsa ideia que tinham da religião.

Há uma grande diferença entre falar e fazer, entre a teoria e a prática. As palavras e as promessas não resolvem nada, não valem nada. 

Os ensinamentos de Jesus são misericórdia, fé, justiça, compaixão, como uma condição, vai entrar apenas quem fizer a vontade do meu Pai que está nos céus. (Mt 7, 21) Não basta ler a bíblia, ou ouvir a pregação e dizer que é bom e certo, o importante é viver a vida nova que Cristo trouxe para todos.

Ser cristão, pertencer a uma comunidade, participar de reuniões não basta, é preciso realizar obras dignas de um cristão. 

É muito fácil acumular bons propósitos. O mundo está cheio deles, promessas e mais promessas. Mas é necessário cumpri-las, é isso que interessa.

Irmãos não é o nosso falar, mas sim o nosso agir que demonstra se amamos a Deus, e se estamos ou não fazendo a vontade do Pai. Nem sempre aquelas e aqueles que dizem sim, são verdadeiros. 

Infelizmente, nem sempre aqueles que falam muito bem, que falam bonito, com discursos que impressionam, são aqueles que vivem a verdade, a palavra em toda sua plenitude. O que é muito lamentável, pois o nosso falar deveria ser seguido de nosso agir.

Jesus é muito claro não são as nossas palavras, mas as nossas ações que têm valor diante de Deus. Mesmo os que disseram não a princípio podem arrepender-se e fazer a vontade de Deus. Mudar de opinião, mudar de mentalidade e se converterem. 

A misericórdia de Deus se manifesta quando o pecador, arrependido porque crê e confia no perdão de Deus, volta atrás e começa a viver uma nova vida.

Valerá, então, o tempo do arrependimento. Por isso, muitos que nós julgamos perdidos, podem receber o perdão e a salvação de Deus. Alegremo-nos! Deus está apenas esperando o nosso arrependimento.

O nosso "sim" a Deus, deve ser sincero, deve ser um "sim" que brote do coração, um "sim" sincero, que nos coloque a serviço do Reino, como foi o "sim" de Maria.

sábado, 16 de setembro de 2017

PERDÃO

Quando Caim matou a Abel, O Senhor lhe condenou a vagar na terra, e decretou que qualquer que matasse Caim seria castigado sete vezes mais. 

Mais na frente, um de seus filhos, Lameque toma para si uma conclusão de que, se qualquer que matasse a Caim seria castigado sete vezes, logo que ele tinha matado dois homens, seu castigo seria setenta vezes sete. 

Lendo a passagem de Gênesis 4, me parece que Lameque esta se consumindo de arrependimento; ele matou dois, e sente no seu coração: o que fiz “É demais para que seja perdoado!”

Certa vez Pedro, quando estava ouvindo os ensinamentos de Jesus Cristo a respeito de que, “se seu irmão estiver errado conta tí” é para você repreendê-lo, e se não lhe dando ouvido, você traz uma ou duas testemunhas para falar com seu irmão; ainda assim não dando ouvido, fala a Igreja... 

Enquanto Jesus falava na tentativa de localizar o erro para aja reparação, Pedro foi direto ao ponto, e fala do perdão: Senhor até quantas vezes devemos perdoar a nosso irmão? Até sete vezes? Trazendo de volta aquele castigo de quem fosse matar a Caim, que sete vezes seria castigado. 

Jesus, porém foi além: Não te digo sete vezes Pedro, mas setenta vezes sete; fazendo alusão ao que foi feito por Lameque lá em Gênesis 4.

É Jesus Cristo respondendo a pergunta de Pedro e de Lameque que ficou sem resposta no Antigo Testamento.

Será tão grave o meu pecado que não tem perdão? Jesus responde que tem perdão, sim, para quem quiser ser perdoado; basta se arrepender, e sinceramente decidir mudar de vida, Jesus Cristo estará sempre pronto para perdoar.

Jesus oferece o perdão para o mundo inteiro desde Caim até o ultimo homem que se arrepender dos seus atos.

Já conheci muitas pessoas que julgam seus pecados serem imperdoáveis, pensam que não têem mais chances com Deus por causa das suas grandes transgressões.

Jesus Cristo, no dizer justamente o contrário: “eu não vim chamar os justos, mas os pecadores”. Ele compara o pecador a alguém que está doente e, por isso, precisa de médico para ser curado. Jesus Cristo é o médico enviado pelo Pai para nos devolver a saúde, partindo do princípio de que todos nós precisamos do remédio da misericórdia, pois somos doentes pelo pecado. 

Não importa a situação em que nos encontremos, Jesus nos chama à segui-Lo abandonado o pecado para viver na graça como filhos de Deus.

Para Jesus, não importa o nosso passado, o que vale é a resposta que damos ao seu chamado, afinal aceitar o chamado Dele, significa estar disposto a mudar de vida, e claro perdoar a nossos irmãos, pois a condição para recebermos a misericórdia de Deus é nos reconhecermos pecadores e perdoarmos uns aos outros de coração.

Todos nós podemos nos tornar médicos para alguém, médicos de alma, basta amá-lo concretamente, pois o amor cura, motiva, devolve a vida, o amor salva!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

NOSSA SENHORA DAS DORES

Estamos preparando o Jubileu dos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida e 100 anos da Aparição de Nossa Senhora em Fátima. É um momento muito marcante para os devotos de Maria que se inspirando nesses grandes acontecimentos, cultivam e aprofundam o culto Àquela que no mistério salvífico de Jesus sempre foi presença confortadora na vida de seus filhos e filhas.

As dores de Maria:

• 1ª dor: Jesus é apresentado no Templo, onde está presente Simeão, que alerta sobre o que espera o pequeno Menino.
• Hoje: as mães que sofrem com a discriminação desmedida sobre seus filhos, sejam pela cor, deficiências. Quantas dores na vida do povo, com o desemprego, corrupção, falta de moradia, etc.

• 2ª dor: Quando José é avisado em sonho que Herodes quer matar o menino e devem fugir para o Egito.
• Hoje: o sentimento materno, medo por seu filho (a) sendo perseguido (a). Na Campanha da Fraternidade/2014, pudemos experimentar a dor de quantas mães que perderam seus filhos no Tráfico Humano e no tráfico de drogas.

• 3ª dor: Desaparecimento de Jesus e seu aparecimento no Templo em meio aos Doutores da lei.
• Hoje: quantas pessoas se perdem, perdem seus filhos, perdem o sentido da vida. Que desespero vivem até o “reencontro”.

• 4ª dor: Doloroso encontro com seu Filho no Caminho do calvário.
• Hoje: discutimos o significado do encontro; quantos conflitos vividos pelas pessoas nas intermináveis dificuldades de relações, pais e filhos, esposos, comunidades.

• 5ª dor: A crucifixão de Jesus e Maria ao pé da cruz.
• Hoje: quantas mães e pais se sentem impotentes, diante das situações que não dependem apenas deles; um exemplo seria quando chegam aos leitos de hospitais e veem seus filhos ali tão frágeis e precisam se manter firmes diante dessa situação. Quanta dor vive nosso povo nas longas filas do INSS, vendo as pessoas morrerem à míngua, sem atendimento adequado.

• 6ª dor: Quando Jesus é descido da cruz, morto e transpassado pela lança
• Hoje: a frieza diante morte e total descaso com a vida. Quantas vidas inocentes, embaladas e envolvida pelo crime organizado, pelas drogas e pela impunidade.

• 7ª dor: Maria sepultando Jesus.
• Hoje: como é para uma mãe sepultar seu filho, é uma dor incomensurável; saudade que machuca, lembrança que jamais vai embora .

MARIA ACOLHE NA SUA DOR A DORES DA HUMANIDADE.

Há uma confiança extrema na Mãe de Jesus. Maria, Nossa Senhora, a Mãezinha do céu, nos momentos mais difíceis.

Assim vão surgindo, ao longo da história, os mais diferentes títulos de Maria, profundamente encarnados na vida e situação do povo. Só para lembrar alguns desses títulos: NOSSA SENHORA DA AJUDA, DO ALÍVIO, DO AMPARO, AUXILIADORA, DOS POBRES, DA BOA MORTE, DO BOM PARTO, DO BOM SOCORRO, DO BOM SUCESSO, DA ESPERANÇA, DA CONSOLAÇÃO, DOS DESAMPARADOS, DESATADORA DOS NÓS, DO DESTERRO, DAS DORES, DA PIEDADE, DA SOLEDADE, DAS ANGÚSTIAS, DAS LÁGRIMAS, DAS SETE DORES, DO CALVÁRIO, DO PRANTO, DOS MÁRTIRES, DA MISERICÓRDIA, DO PERPÉTUO SOCORRO, DOS REMÉDIOS, DA SAÚDE. 

As dores de inúmeras pessoas, espalhadas pelo mundo, suscitam a lembrança de Maria de Nazaré, Mãe de Jesus, morto por tentar abolir todo tipo de violência como a única expressão apropriada da FÉ NO DEUS DA VIDA, presente no cotidiano da humanidade.

O Brasil e o mundo serão muito melhores, quando todos os devotos de Maria nos educarmos para nos tornarmos, cada vez mais, pessoas sensíveis ao sofrimento humano e juntos lutarmos por uma sociedade regida pela partilha, amor e justiça.

sábado, 9 de setembro de 2017

CORREÇÃO FRATERNA

Onde tem relações humanas tem conflitos, seja na comunidade, seja no trabalho, seja na família, e acreditem até mesmo no casamento. 

E em todos os conflitos, não existem inocentes, sempre que alguém brigar com você ou você brigar com alguém, os dois sempre serão culpados. Porque quando um não quer dois não briga.

E ainda em toda a desavença sempre tem três lado, o seu o do outro e a verdade. Pois todo o ponto de vista é visto de um ponto, então sempre lembre de que possibilidade do errado ser você é sempre grande.

Para resolver esses conflitos que fazem parte das relações humanas Jesus nos propõe muito cuidado para corrigir os que erram. Nunca seja através do castigo, e sim, através do amor. Quem ama que não quer ver um irmão se perder, ainda que este irmão tenha errado muito contra ti, sempre devemos acreditar na reconciliação.

É compromisso do cristão, colaborar para que todos se salvem. 

Somos corresponsáveis pelos nossos irmãos. Não podemos deixar de lado, aquele, que na sua fraqueza humana errou simplesmente virar as costas e deixar pra lá, evitar a pessoa dali par frente.

Nossas famílias não podem ser como um amontado de pessoas, que vivem como bem entendem, onde ninguém se interessa pelo o bem do outro. Ser cristão é comungar do mesmo Cristo, amando-nos mutuamente, exercitando o perdão.

Todos nós, temos necessidade de correção, pois não somos perfeitos.

A correção é um ato de amor, difícil de praticar, mas vale a pena, pois com ela podemos salvar um irmão, dar-lhe a chance de reparar o seu erro.

Para ter êxito a correção, depende de nossa postura diante do irmão, nunca como juiz, sempre como enfermeiro. Papa Francisco nos diz: a Igreja não deve ser Juiz a apontar erros, a uma enfermaria que acolhe os feridos. 

O Evangelho de hoje, nos indica alguns passos:

1º - “Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, a sós contigo! Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão.” O diálogo, deve ser sempre o primeiro passo, muitas questões se resolvem, através do diálogo, pois dependendo do que ouvimos, podemos perceber que tudo foi um mal entendido, ou um ato impensado. 

Antes porém reza antes pela pessoa, cuide para que no final da conversa a pessoa se sinta mais amada do que antes, pois amor aproxima de Deus e repreensão afasta. 

2º - “Se ele não te ouvir, toma consigo mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas.” Muitas vezes, os desentendimentos entre os familiares podem ser resolvidos com a ajuda de uma terceira pessoa que nem é daquela família, uma pessoa neutra pode enxergar com clareza a verdadeira causa do atrito que em geral não passam de "picuinhas" bobas. Além de que amigo é remédio para acalmar os ânimos, 

Às vezes o discernimento a dois pode nos convencer, de que não foi tão grave assim, e que vale a pena, manter o convívio com aquela pessoa, pois com o passar do tempo, ela mesmo pode perceber seu erro e se corrigir.

Além do que às vezes somos influenciados por simpatia e antipatia, por isto, é importante, consultar outra pessoa, a respeito do ocorrido.

3º “Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja”. Dizer a Igreja, é como se dizer: agora, vai depender dele com Deus, pois, humanamente, foi feito tudo o que podia ser feito, só nos resta rezar por ele.

O grande problema, em se tratando de correção, é que muitos de nós, invertemos a ordem dos passos, começando por comentar com os outros, antes de falar com a pessoa. Criando caso antes de dar a chance para a pessoa.

Como Cristão, não podemos desistir do irmão assim tão fácil, e nem ficar assistindo a sua ruína, se podemos fazer algo em seu favor! 



“Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí, no meio deles”. Quando Jesus se faz presente, no meio das pessoas que buscam soluções para determinadas situações, podemos ter certeza: tudo se resolve, tudo tem um final feliz!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

NOSSA ALMA NECESSITA DO TOQUE DE JESUS


Jesus é o Enviado do Pai para nos dar vida plena, e tem capacidade para nos tirar das diversas situações que nos paralisam, mesmo que estejamos à beira da morte. A qualquer momento e em qualquer circunstância da nossa vida Ele tem poder para nos curar e nos tirar da impotência. 

Neste Evangelho Jesus nos dá prova disso quando cura a sogra de Pedro que, embora já tivesse idade bem avançada, foi sarada da sua enfermidade e, na mesma hora se pôs à disposição para servir a Ele e aos seus discípulos. Irmãos, a cura que Jesus quer fazer em nós, nos desinstala e nos tira da acomodação. 

As doenças e os males que nos atingem na maioria das vezes provêm da nossa alma carente do toque de Jesus, carentes de ouvir sua palavra de vida, tão doce aos nossos ouvidos, carentes da paz que o sue amor nos dá.

Por isso, as multidões O procuravam e não queriam largá-Lo. Jesus se enchia de compaixão por aquele povo necessitado, no entanto, Ele não parava no mesmo lugar, pois, sabia que a cada passo encontraria alguém necessitado de cura e salvação. 

Hoje também, Jesus quer nos curar e nos libertar de todas as nossas tribulações, mas espera de nós que procuremos ajudar nossos irmãos e irmãs a viverem a vida nova em Cristo. 

Somos curados, para amar e servir a Deus em favor de todos que são necessitados de libertação. 

A Boa Nova anunciada por Jesus enche nosso coração de doçura amor e paz, Ele deseja que nós a anunciemos a todos: “Jesus é o mesmo ontem, hoje e sempre, o filho do Deus Vivo, está muito perto de nós. Buscai por ele pois ele quer nos curar de todos os males”.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

TOME A SUA CRUZ

Estamos no início do Mês da Bíblia; tempo em que a Igreja nos convida a abrirmos mais vezes, este livro sagrado, para que possamos, através do conhecimento da palavra de Deus, rever a nossa vida, para dar espaço ao que é de Deus! 

No evangelho, vemos que os discípulos, mesmo convivendo diretamente com Jesus, tiveram dificuldades em aceitar a cruz.

De fato só depois da ressurreição eles compreenderam o sentido da cruz e não hesitaram em dar a vida pela causa do Reino.

Se hoje, estamos aqui, buscando um entendimento melhor dos ensinamentos de Jesus, é graças ao testemunho destes primeiros discípulos, homens frágeis como nós, que caindo e levantando, foram crescendo na fé, e nos deixando a certeza de que: Jesus é a nossa única opção de vida!

Quem está disposto a seguir Jesus, não deve iludir com facilidades, pois Ele é exigente, implica em mudança radical no modo de viver, exige muito mais do que boa vontade, exige compromisso, fidelidade, pois o seguimento a Jesus inclui à cruz.

E Ele pode ser exigente, pois ele é o único que nos oferece vida eterna.

E a cruz não é bonita, nem a cruz de Jesus nem a nossa cruz, mas nós não amamos cruz por ela ser bonita, amamos porque na cruz está aquele que nos amou por primeiro.

Foi pela cruz, que Jesus nos possibilitou uma vida que não passa!

Carregar a cruz é suportar dores, doenças, mortes, tragédias, desemprego, situação financeira difícil. Carregar a cruz é seguir o caminho que Jesus, mesmo no meio das tribulações dar amor, carinho e amparo aos que caminham ao nosso lado. 

Jesus coloca uma condição para quem quer ser seu discípulo: carregar a cruz. Mas também nos apresenta dois motivos que justificam: 

Primeiro a vida deste mundo passa depressa, voa. Não vale a pena nos agarrarmos a ela.

Segundo, a recompensa é a glória eterna no céu, pois a única coisa que o homem leva consigo é o amor dado e recebido durante a vida. 

Quais são as pedras de tropeço da nossa caminhada? Quais são os obstáculos que nos impedem de sermos verdadeiros cristãos? São os falsos amigos? Vícios? Preguiça? Falta de atitude? Acomodação? 

Precisamos fazer uma leitura critica das novela, propagandas, tendências e modas, que querem nos fazer a cabeça, dizer que ser cristão é ser atrasado, estar por fora. 

É o face book , o whastapp, app de namoro, que separando casais e destruindo famílias e pior que muitos homens insistem e dizer e traição virtual não é traição. Hora não é traição? Da onde?

São mentiras, mentiras e mentiras que nos fazem a cabeça, nos deixando egoístas, consumistas, individualistas, viciados, pecadores, e indiferentes às coisas de Deus. 

Precisamos nos alimentar diariamente da Palavra de Deus para não nos deixar seduzir pela maneira de pensar do nosso tempo. Precisamos de uma vida de oração para que nos ajude a pensar segundo o Evangelho, e assim salvar nossa casa, salvar nossa família, salvar nossa vida e ser feliz nesse mundo e no outro.

O mundo nos afasta de Deus, nos ridicularizando por sermos cristãos. Quantas vezes ouvimos: O que você ganha sempre enfiado na Igreja?

A nossa resposta pode ser as palavras de Jesus: “Que adianta o homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua vida? O que poderá alguém dar em troca de sua vida?”

O que adianta sermos considerados os tais, os modernos, os espertos, os maiorais se temos uma alma vazia, e se perdemos a nossa VIDA VERDADEIRA, QUE É A VIDA ETERNA.

sábado, 26 de agosto de 2017

QUEM? JESUS?

Imagine agora Jesus em pessoa perguntando a você:

O que pensa sobre min?

O que você sabe sobre a minha pessoa?

Você realmente se interessa em conhecer-me cada dia mais?

O que você pensa sobre tudo o que Ele disse?

O que você pensa sobre os milagres que Ele fez?

E a pergunta mais importante. Você acha que já segue Jesus de verdade? Ou precisa se dedicar uma pouco mais pela sua salvação, engajando-se em uma pastoral da sua paróquia?

Jesus sabe tudo o que você pensa, ele não precisa perguntar nada. Como eu gosto de dizer: DEUS TA VENDO. Mas neste evangelho ele nos cutucando você para ver a sua reação, como o fez aos seus discípulos.

Diríamos que Ele está colocando você contra a parede, para ver até onde vai a sua fé. Para ver se você é realmente é dos dele ou é dos outros.

Você que está lendo esse blog agora, acredite. Jesus está bem aí do seu lado. E está perguntando: E você? Quem acha que eu sou?

Qual é a sua resposta? Seja sincero.

Um jeito de sabermos quem é Jesus é lendo a Bíblia. Mais isso não basta, precisamos aprofundar. A homilia do padre ajuda, mas isso também não basta, faça retiros, leituras espirituais. É preciso ter fé alimentada em uma vida de oração, para que o Espirito Santo nos revele quem é Jesus Cristo, como Ele revelou a Pedro.

Pergunto eu: Você já teve uma experiência pessoal com Jesus? Já aconteceu algum milagre na sua vida? Se isso ainda não lhe aconteceu, corra em busca de razões para a sua fé, e você descobrirá que Ele é O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA.

Tentei responder eu mesmo essa pergunta e o que consegui foi:

Jesus é a porta por onde vamos passar para entrar na vida eterna.

Jesus é o rosto visível de um Deus invisível.

Jesus é o meu Senhor e o meu Deus, o meu rei, meu pastor, o meu Mestre, a minha salvação na hora da tribulação, porque Ele é misericordioso, bondoso, justo, e poderoso.

Jesus é o pão descido do Céu para alimentar a nossa alma, fortalecendo a nossa vontade contra as tentações, para que não nos arraste para o pecado.

É Jesus Eucarístico que nos dá força para continuar a caminhada entre os espinhos da vida, as injustiças, a violência do nosso mundo e a maldade daqueles que não o aceitam.

Jesus é o Deus feito homem.

Jesus veio ao mundo com uma missão de SALVAR A HUMANIDADE DO PECADO. Assim Ele anunciou o Reino de Deus através da PALAVRA, do PERDÃO e dos MILAGRES. E Realizou a nossa Salvação pela sua morte e ressureição.

Jesus é Aquele que lhe perdoa quantas vezes forem preciso através do sacerdote.

Jesus é Aquele que lhe faz companhia e lhe dá forças nos momentos de solidão e de tentação.

Jesus é Aquele que o ilumina nos caminhos escuros e difíceis da estrada da vida.

Jesus é O Filho amado que mostra a vontade do Pai.

Jesus é Aquele que nos fala através das pessoas, e dos fatos, mostrando-nos como devemos ser agir e pensar, eu caminho seguir para merecer a vida eterna.

Jesus é Aquele que pela sua infinita misericórdia quis habitar em nós por meio da Eucaristia.

Jesus é Aquele que na hora da nossa morte não nos abandona, mas sim, nos proporciona a graça do arrependimento para que possamos conseguir o seu perdão.

Jesus é Aquele que nos fortalece para que não desfaleçamos na caminhada.

Jesus é a luz que ilumina o nosso caminhar.

Jesus é o amigo que bate a nossa porta para estar conosco nas horas difíceis.

Jesus é bondade, doçura, beleza, o caminho reto, é a paz que todos procuram.

Jesus é a água pura que mata a sede da nossa alma, e nos acalma.

Jesus é palavra que inspira nossa mente e pensamentos, aumenta a nossa fé, nossa esperança e nossa caridade.

Jesus é tudo isso e muito mais.

Por Isso digamos hoje e para sempre.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

sábado, 22 de julho de 2017

PARÁBOLAS

Em três parábolas as grandes contradições da vida humana: a do joio (contraposição do BEM E O MAL), a do grão de mostarda (contraposição do O MENOR E O MAIO) e a do fermento (contraposição do O POUCO E O MUITO). Através dessas pequenas histórias, simples e ligadas à vida, Jesus nos fala da bondade e da paciência de Deus.

Quem não observa as coisas simples da vida, tem dificuldades para entender Jesus. O Mestre de todos os mestres serviu-se de exemplos bem simples para nos falar da grandiosidade das coisas de Deus. 

Essas parábolas respondem as indagações de muitos, que imaginam o Reino dos céus fora do nosso alcance. Por meio de parábolas Jesus nos fala que o reino de Deus é algo bom que é semeado no nosso coração. 

Jesus compara o Reino dos céus, com plantas que conseguem crescer juntas com as ervas daninhas, sem se contaminarem, com uma pequena semente de aparência frágil e com o efeito de uma porção de fermento no meio da massa.

A do joio, fala da presença do mal no meio do bem. Mesmo assim, Deus é paciente e aconselha-nos a esperar a hora certa. “Deixem que cresçam juntos até a colheita, pois pode acontecer que arrancando o joio, vocês arranquem também o trigo”. Sugerem cautela, cuidado e respeito até mesmo para com aqueles que chamamos de maus. Tudo tem a sua hora. Chegará o dia da colheita quando então, os maus serão ceifados e lançados ao fogo. 

A parábola do joio é um alerta, para que estejamos sempre vigilantes, para não corrermos o risco de cairmos nas armadilhas do inimigo que está a todo tempo nos espreitando. 

É fácil ser bom, vivendo onde só impera o bem, o desafio mesmo, é ser bom, onde o bem e o mal se misturam. É no confronto com o maligno, que provamos a nossa adesão a Jesus, é aí, que damos testemunho da solidez da nossa fé. 

A parábola do grão de mostarda nos mostra que as coisas de Deus começam pequenas e depois, e assumem proporções incríveis.

Comparando o Reino dos céus com uma minúscula semente, Jesus afirma que o crescimento do Reino, começa a partir de pequenas iniciativas!

A semente de mostarda é figura de coisa pequena e de pouco valor. No entanto, a pequena semente crescerá, será árvore. 

Na terceira parábola, Jesus compara do Reino dos céus com o fermento misturado na farinha. Com esta comparação, Jesus diz que a presença próxima de Deus é uma força transformadora. Transforma o ser humano a partir de dentro. Faz um homem novo.

Como o fermento que transforma toda a massa, o Reino de Deus transforma a vida inteira das pessoas, renovando-a. Quem o acolhe com fé e confiança, experimenta a alegria incomparável do amor de Deus, que perdoa e reconcilia.

O Reino de Deus atinge o interior de cada um de nós. Se aceitarmos esse Reino, somos realmente transformados, somos feitos realmente filhos de Deus. Uma vez transformados, podemos transformar os outros.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

VINDE A MIM


Que palavras cheias de consolação: “Vinde a mim, vós que estais cansado e sobrecarregado, eu vos darei descanso”. Quantas vezes nos encontraram cansados, atarefados, frustrados, desanimados, Jesus nos aconselha a recorrer sempre a Ele, muitas vezes só Deus é a resposta, só Jesus pode nos aliviar dos nossos sofrimentos, cansaço, e preocupações.

Ir a Jesus, é encontro, é seguimento, é seguir sua cartilha, obedecer a seus mandamentos. Jesus, não é como um comprimido que tomamos, ou uma tarefa que fazemos e pronto, mas é um caminho que seguimos cada dia passa a passo, um caminho que leva a felicidade e a paz. 

Jesus convida todos que estão cansados, porque “meu jugo é leve e o peso é suave”. Jesus liberta de tudo o que escraviza e oprime, porque a carga que Ele fala é o amor, e o amor não pesa. O amor não escraviza, não julga, não condena. 

Conhecemos tanta gente, que não vivem, apenas sobrevivem, escravos da tecnologia, escravos de padrões de beleza, escravo da opinião dos outros, escravos das aparências, do álcool das drogas, das dividas e mesmo assim continuam comprando.

Pessoas que correm de um lado para outro, que fadigam, em busca de tantas coisas, mas são incapazes de desvendar o segredo da felicidade.

Pois a felicidade esta nas coisas simples da vida. Na família reunida entrono da mesa, na consciência tranquila, na paz do coração. 

Os arrogantes e orgulhosos, prepotentes, autossuficientes nunca serão capazes de entender.

É fácil perceber a diferença de uma pessoa entre um sabido, e um sábio. O Sabido é aquele que pensam saber tudo sobre tudo, o sábio é que sabe que não sabe sempre está disposto a aprender. 

Os sabidos não saem do lugar, os sábios seguem em frente suaves e alegres. 

Quando nos achamos sábios para as coisas do mundo nós não conseguimos entender as coisas do céu. 

Aqueles que reconhecem sua fraqueza e busca apoio em Deus, nele encontrarão socorro e descanso. 

Esses experimentam a felicidade que Deus nos quer dar.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

TRINDADE - DEUS É MISTÉRIO

Deus é mistério! Infelizmente muitos querem entender Deus. Não devemos ir por esse caminho, pois nos surgirão dúvidas de fé. Como pode um Deus tão grande caber numa cabecinha tão pequenininha como a minha? 

De fato a nossa religião é cheia de mistérios: A Trindade, a Concepção Virginal, A Imaculada Conceição, a Transfiguração, a Transubstanciação... 

Os mistérios não são para serem entendidos, mas para serem adorados. 

Jesus ensinava por parábolas e no final acrescentava: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. É claro que todos ali tinham até dois ouvidos. Mas Jesus estava falando dos ouvidos da fé. Quando temos fé, ouvimos e adoramos.

Hoje somos convidados a adorar a santíssima trindade, uma comunidade que vive em perfeita comunhão, formando um só Deus. 

A Santíssima Trindade é o maior mistério da nossa fé, o qual jamais nós poderíamos ter descoberto pela nossa razão muito menos pela inteligência. Pela razão até poderíamos compreender que Deus existe. Porém, jamais iríamos entender um Deus em três pessoas.

Essa revelação nos foi proporcionado por Jesus que por várias vezes explicou que existe um Pai, um Filho e que o Espírito Santo seria enviado depois da sua ascensão ao céu.

A nós cabe trazer a Trindade para a nossa experiência cotidiana, seguindo o seu exemplo, vivendo o amor autêntico uns com os outros, amor fraterno sem egoísmo, que visa o bem estar do outro, e não o conforto próprio. Ou seja, não exija que as pessoas te amem. Ame-as primeiro... Mas nunca seja possessivo, nem chato, se apegando demais.

Vamos amar os nossos irmãos na prática, começando na nossa família.

Pais amem seus filhos mais do que eles o amam. Lembre-se que amar é doar-se. Doe sua vida aos seus filhos esqueça as ingratidões deles. Faça a sua parte como o fez a Santíssima Trindade por você e por todos. 

Não Exija que seu marido ou esposa o ame. Conquiste-a diariamente, com gesto, carinho e atenção. 

Jovens, quer ter muitos amigos, seja amigo de muitos, seja você o amigo que você espera ter. 

Idosos, não viva se lamentando. Também não se entristeça se as pessoas não lhe dão mais atenção. Fica com Deus, que é a melhor companhia. Não fique com pena de você mesmo.

Pense se não é hora de se redimir de todos os seus pecados, e procurar fazer, todo o bem que puder. Pare com esse mau humor. A velhice não é o fim da vida, mas uma nova maneira de viver.

Ama e você será feliz. O verdadeiro amor é contagioso. 

Nos noticiários vemos notícias sangrentas de homens que não aceitando O FIM DO RELACIONAMENTO, matam a mulher amada. O tipo: SE VOCÊ NÃO FOR MINHA SÃO SERÁ MAIS DE NINGUÉM.

Quem ama não mata! Só mata aquele que se uniu a alguém visando apenas à satisfação pessoal. Isso não é “amor” é um apego egoísta.

Quem ama de verdade, da a sua vida pelo outro. 

Quem ama de verdade, não fica contabilizando o quanto gastou com o irmão que precisou dele. 

Quem ama de verdade, pratica um amor parecido com o amor de Deus. E Deus que vê tudo, nos recompensará. Pois “Quem dá um na Terra receberá cem nos céus”.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

ASCENSÃO DO SENHOR

“Ide e fazei discípulos meus todos os povos. Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”.

Não é uma sugestão, nem um conselho que Nosso Senhor nos dá é uma missão. Missão de ser testemunha da morte e ressurreição de Jesus. Para cumprir essa missão devemos testemunhar o amor de Deus nos ambientes em que vivemos na família, no trabalho, na comunidade. Isso não é fácil, requerem cristãos esclarecidos, que saibam argumentar com os questionamentos que o mundo oferece.

Por isso precisamos fortalecer nossa identidade cristã, procurar fazer retiros, leituras espirituais, ouvir a Radio Aliança as Tvs Católicas, precisamos nos dedicar a conhecer cada vez mais o Cristo que amamos, vivemos e anunciamos.

Antes de subir ao Céu Jesus fundou a sua Igreja para a salvação da humanida e enviou os seus Apóstolos a todo o mundo, dando-lhes este mandato: "Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi". (Mt. 28, 19-20).

A Igreja é chamada para tornar presente Cristo no mundo, pela pregação e pelo Batismo, sacramento que nos faz filhos de Deus e herdeiros do Céu. A ressurreição de Jesus marca o início do Reino de Deus. A construção do Mundo Novo somente começou e exigirá muito empenho de nossa parte. 

Precisamos de um novo Pentecostes, evento que o nosso amado Papa Francisco nos diz que esta prestes a acontecer. Onde sairemos de nosso comodismo para ir ao encontro de todas as pessoas para comunicar como é bom o Bom Deus, como é bom viver em graça. Comunicar que o Cristo é único capaz de preencher nossa vida de "sentido", de "verdade", "amor", "alegria" e "esperança".

Mateus nos diz que "alguns ainda tinham dúvidas" (v.17) talvez isso até nos surpreenda. Como era possível ainda ter dúvidas, sendo que já tinham se encontrado com Jesus Ressuscitado?

Irmãos, a comunidade cristã não é um grupo de pessoas perfeitas. Desde o início da Igreja sempre é assim. Têm fé, mas também têm suas dúvidas. As dúvidas na comunidade dos primeiros discípulos deve ser um motivo de conforto. Nós acreditamos em Cristo, mas ainda temos que conviver com nossas de fraquezas humanas e pecados. Não podemos desanimar, esta é a nossa condição humana, que Jesus veio para transformar e trazer salvação. 

A cada celebração, vamos cheios de alegria ao encontro da santíssima Eucaristia, onde encontramos a força para fazer a vontade de Deus, que é anunciar aos nossos irmãos a Verdade da Palavra que salva, na certeza que o Bom Deus vai conosco, pois ele mesmo nos diz: "Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo". (Mt 28,20). 

O Evangelho de Mateus se encerra com uma frase muito linda de Jesus: "Eis que estou convosco todos os dias até o fim do mundo" (v.20). Esta é a razão da nossa alegria: Jesus não se afastou, não foi para outro lugar, ficou conosco de uma forma diferente. 

Antes da Páscoa ele estava limitado: podia estar somente num lugar e não em outro, podia falar com algumas pessoas, mas ficava distante das demais. Agora para ele todas estas limitações, cessaram; ele está no Pai, por isso está perto de cada um de nós, sempre, em qualquer lugar, em qualquer situação.

Fixemos o olhar em Maria e reconheçamos nela a imagem perfeita da discípula missionária, para que através de seu exemplo possamos ser cristãos mais despojados a anunciar Jesus Cristo, que é Caminho, Verdade e Vida.
Related Posts with Thumbnails