sábado, 31 de março de 2018

JESUS RESSUSCITOU

A boa Noticia é essa: Jesus Morreu e Ressuscitou por nós.

Mas que é esse Jesus que Ressuscitou?

Tentei responder eu mesmo essa pergunta e o que consegui foi:

Jesus é a porta para entrar na vida eterna.

Jesus é o rosto visível de um Deus invisível.

Jesus é o meu Senhor e o meu Deus, o meu rei, meu pastor, o meu Mestre, a minha salvação na hora da tribulação.

Jesus é misericordioso, bondoso, justo e poderoso.

Jesus é o pão descido do Céu para alimentar a nossa alma, fortalecendo a nossa vontade contra as tentações, para que não nos arraste para o pecado.

É Jesus Eucarístico que nos dá força para continuar a caminhada entre os espinhos da vida, as injustiças, a violência do nosso mundo e a maldade daqueles que não o aceitam.

Jesus é o Deus feito homem. Deus conosco, o Emanuel.

Jesus veio ao mundo com uma missão de SALVAR A HUMANIDADE DO PECADO. Assim Ele anunciou o Reino de Deus através da PALAVRA, do PERDÃO e dos MILAGRES. E Realizou a nossa Salvação pela sua morte e ressureição.

Jesus é Aquele que lhe perdoa quantas vezes forem preciso através do sacerdote.

Jesus é Aquele que lhe faz companhia e lhe dá forças nos momentos de solidão e de tentação.

Jesus é Aquele que o ilumina nos caminhos escuros e difíceis da estrada da vida.

Jesus é O Filho amado que mostra a vontade do Pai.

Jesus é Aquele que nos fala através das pessoas, e dos fatos, mostrando-nos como devemos ser agir e pensar, eu caminho seguir para merecer a vida eterna.

Jesus é Aquele que pela sua infinita misericórdia quis habitar em nós por meio da Eucaristia.

Jesus é Aquele que na hora da nossa morte não nos abandona, mas sim, nos proporciona a graça do arrependimento para que possamos conseguir o seu perdão.

Jesus é Aquele que nos fortalece para que não desfaleçamos na caminhada.

Jesus é a luz que ilumina o nosso caminhar.

Jesus é o amigo que bate a nossa porta para estar conosco nas horas difíceis.

Jesus é bondade, doçura, beleza, o caminho reto, é a paz que todos procuram.
Jesus é a água pura que mata a sede da nossa alma, e nos acalma.

Jesus é palavra que inspira nossa mente e pensamentos, aumenta a nossa fé, nossa esperança e nossa caridade.

Jesus é tudo isso e muito mais.

Por Isso digamos hoje e para sempre.

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

quinta-feira, 29 de março de 2018

LAVA-PÉS

O que você faria se soubesse que morreria amanhã? O que você falaria para as pessoas que te cercam se soubesse que aquelas seriam suas últimas palavras? Quais seriam seus atos se soubesse que seriam seus últimos gestos? Se você fosse um pregador, qual seria o seu último sermão? 

Essa era a condição de Jesus. Ele sabia exatamente o que lhe aguardava aquela noite. Ele sabia que seria traído, entregue ao sinédrio e abandonado pelos seus discípulos. 

Por isso, aquelas eram horas preciosas. Com certeza nosso Senhor tinha muito ainda para dizer, ensinar, alertar, confirmar, aconselhar, recomendar e consolar. 

Entretanto, Jesus abre mão das palavras e usa um gesto, o gesto de lavar os pés deles. Um gesto que os constrangeu, questionou, chocou, e ficou marcado para sempre em seus corações. 

Durante três anos os discípulos conviveram com o Mestre, ouvindo suas pregações, testemunhando milagres: curas, libertações e até ressurreições. Durante esse período, os apóstolos participaram da intimidade de Jesus. Tudo que eles aprenderam com ele durante esse tempo, Jesus, resumiu em três lições, presentes nesse gesto do Lava-pés 

1º Lição é o Amor - O texto diz que “tendo Jesus Amado os seus, amou-os até o fim”. É um amor sem limites, um amor levado às últimas consequências. Até o dom da própria vida. 

O texto diz que Jesus lavou os pés de todos os discípulos, inclusive os pés de Judas. Jesus lava os pés daquele que iria traí-lo. Até o último momento, até na hora do beijo da traição, Jesus no seu amor ainda esperava Judas se arrepender e se salvar. Jesus ainda vai dizer com amor, “Com um beijo que trai o filho do homem?”. 

Jesus transmite aos seus que é absolutamente impossível segui-lo sem amar. O amor é a condição para ser feliz nessa vida e na outra. 

Mas precisamos prestar a atenção no significado dessa palavra tão desgastada em nossos dias. 

2ª Lição de Humildade. Lucas, no seu Evangelho, narra que durante a ceia os discípulos começaram a debater entre si qual deles seria o maior (Lc 22,24). No meio dessa discussão que Jesus se levanta e se despoja de sua túnica, ensinando aos seus discípulos como ser grande para Deus. 

Jesus tomou uma toalha, deitou água na bacia e passou a lavar os pés dos discípulos. Quando alguém oferecia um banquete ao receber convidados, colocava um escravo para lavar os pés dos convidados. Jesus assume uma postura de um escravo. 

Jesus é Deus, um Deus que se pôs de joelhos, para lavar os pés dos pecadores. Anos antes, João Batista disse que não era digno nem mesmo de desatar as sandálias de Jesus (Mc 1:7). No entanto, Jesus, o próprio Deus, ajoelha-se diante de seus discípulos e, não apenas desata as correias de suas sandálias, mas, ainda, lava os seus pés. 

3ª Lição de Serviço (v. 14-16). Jesus mostra aos seus que ser seu discípulo é, antes de tudo, ser um servo. Conta-se que, certa vez, um jovem reporte Madre Tereza de Calcutá limpando uma ferida em um morador de rua, podre, fedia, da qual saiam vermes. Um trabalho difícil e sem nenhum prestígio nem reconhecimento. Ao presenciar ele exclamou: “Eu não faria esse trabalho nem por um milhão de dólares!”. A freira respondeu: “Eu também não!”. 

Ensinar através do exemplo é a melhor maneira. Jesus utilizou diversas formas de ensino para seus discípulos: sermões, parábolas e gestos. 

Na hora da despedida, Ele se utiliza do melhor: o exemplo. Jesus não nos pediu nada daquilo que ele mesmo não tenha feito. Assim, naquela noite de quinta-feira, antes de se despedir dos discípulos, Jesus traz a eles lições preciosas. “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também” (v. 15).

quarta-feira, 28 de março de 2018

TRAIR É UMA DECISÃO, NÃO UM DESLIZE

A traição, não se limita à infidelidade entre casais. A traição acontece entre amigos, irmãos, colegas de trabalho ou até mesmo em relação aos nossos próprios ideais. Independente da forma que acontece, as marcas deixadas por ela são sempre profundas e as vezes eternas.

Os traidores não precisam de motivos para trair. Precisam de oportunidades. Quem trai se preocupa mais com a desculpa que dará do que com as conseqüências do ato.

Traímos a alguém, quando ferimos quem, um dia, confiou em nós.

Traímos a nós mesmo, quando vamos contra nossos valores para agradar outras pessoas. 

Trair não é um deslize diário, é uma opção. É preciso entender que ninguém trai por acaso. Da mesma forma que você escolhe ser fiel, a traição nada mais é do que uma opção voluntária. A infidelidade não acontece por falta de amor, mas por falta de respeito. Por isso, aceitar uma traição como sendo normal, é o mesmo que assinar um termo abrindo mão do respeito próprio. 

A dor proveniente da traição é intensa porque nunca vem de um estranho. Vem de quem amamos. Por isso é mais fácil conviver com inimigos, pois eles, ao menos, não me podem nos trair.

Mesmo assim o perdão sempre é possível, desde que o respeito seja restaurado primeiro. 

Onde há traição não há respeito, e sem respeito o amor não sobrevive. As relações são feitas pra melhorar a vida e não para preencher vazios. Quem se ama não aceita relações fúteis. Ficar com alguém que não nos respeita, só para não ficar só, é tão necessário como comer sem ter fome.
Related Posts with Thumbnails